Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Família — Autores diversos


10


Cantoria da criança

  1 Sobre o mundo da criança

  Alguém me manda escrever:

  Quando quem pode é quem manda

  Obediência é dever.

  Gosto muito de meninos,

  Mas não sei o que fazer.


  2 Quem nascia antigamente

  Achava quem protegia,

  Pai e mãe formavam dupla

  Que velava noite e dia;

  E dessa prova de amor

  Qualquer criança sabia.


  3 Chegasse o recém-nascido,

  Parecia o viajante,

  Parente do coração

  Há muito tempo distante,

  A família toda em festa

  Ficava mais importante.


  4 Amigos traziam flores

  De paz e satisfação,

  A criança ouvia preces

  De carinho e gratidão,

  Sabendo-se recebida

  Por dentro do coração.


  5 Das razões do nascimento

  Ninguém queria o porquê,

  A criança era beijada

  De alegria, já se vê,

  A mamãezinha no quarto

  Amamentava o bebê.


  6 Hoje em dia, um pequenino

  Já nasce tristonho e só,

  E dado para a enfermeira,

  Não vê vovô, nem vovó,

  Não ganha leite materno;

  Nasceu, tome leite em pó.


  7 Não há mais festa, nem preces…

  Seja menino ou menina,

  Que não se arranque do berço,

  Que se aguente no arrozina,

  Em vez de colos e abraços

  É vacina e mais vacina.


  8 Mamãe vai para o trabalho,

  A criança chora e chama,

  Tem sede e fome de amor,

  Mas ninguém lhe nota o drama

  Depois das mãos da enfermeira

  Vai para os braços da ama.


  9 A ama vive no esquema,

  O nenê quer conversar,

  Papai, porém, não tem horas

  Para carinhos no lar,

  A mamãe regressa tarde,

  Precisa de repousar.


  10 A criança tem de tudo,

  Brinquedos, roupa enfeitada,

  Aniversários em festa,

  Televisão e mesada,

  Mas dos pais de que nasceu

  Já se sente rejeitada.


  11 Aí começa o salseiro

  Do lar a se decompor,

  Rara é a criança que chega

  Da Vida Superior,

  Quase sempre é parentela,

  Pedindo pousada e amor.


  12 Sentindo-se em menosprezo,

  O espírito renascente

  Sem apoio que o renove,

  Faz-se rebelde e doente,

  Frio, amargo e revoltado

  Mesmo forte e inteligente.


  13 Hoje, ouvindo professores,

  Falando de educação,

  Não sei quando o não é sim,

  Nem sei quando o sim é não,

  Só peço aos pais que observem

  A lei da reencarnação.


  14 Organizar o futuro

  Para melhor é dever,

  Mas aqui falo a verdade

  Que todos devem saber:

  O que se faz à criança

  É o que vai acontecer.


Leandro Gomes de Barros


.

Abrir