Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Chico Xavier, o referencial — Autores diversos


1


Tema difícil

[o aborto]

1 Mulheres!… Tanta beleza…!

São estrelas, flores, brilhos…

Mas precisamos de amparo

À mulher que está sem filhos.


2 Estimaríamos ter

Outro assunto de Ano Novo,

Para doar, se eu pudesse,

Mais alegrias ao povo.


3 Mas penso, penso e repenso,

A forma do nosso estudo,

O assunto, no entanto, é claro,

Claro, vivo e cabeludo.


4 Ninguém, entretanto, quer

Desprezar a Lei do Bem…

O tema é muito importante

Na Terra, quanto no Além.


5 O tema é muito difícil

Para crentes e descrentes,

Por onde o aborto se expande,

As mulheres são doentes.


6 Na Fazenda das Formigas

Dona Lia Conceição,

Fez o aborto em quatro filhos,

Faleceu de depressão.


7 Dona Leocádia das Pedras

Negou filhos ao marido…

Morreu moça, morte estranha,

Um caso desconhecido.


8 Lucana negou-se a filhos,

Torturando o esposo Antero;

Ele morreu, mas no enterro disse:

Lucana, eu aqui te espero.


9 Uma famosa parteira,

Dona Ercília Carbomanos,

Chamada, foi ver era a filha,

Menina de doze anos.


10 Antonio Gilberto Augusto

Da Fazenda de Albuquer,

Feriu crianças sem calma,

Agora nasceu mulher…


11 Dona Cota, mulher rica,

Fez os abortos que quis,

Deixou terras, ouro e prata,

E nunca se achou feliz.


12 São muitos os casos tristes,

De amargosa provação,

Que atrapalham muita gente

Na Lei da Reencarnação.


13 Dona Antônia fez abortos,

Fosse em senhora ou menina,

Teve morte indecifrável

Sem favor da medicina.


14 Dona Otávia dos Cartuchos

Abortou filha mimosa,

Faleceu de inesperado

De morte misteriosa…


15 Homens fazem leis pro aborto,

Outros criam leis da intriga

Mas os homens não entendem

De problemas da barriga.


16 Certo dia, disse o Cristo:

Vinde a mim os pequeninos( † )

Mas o mundo complicado

Complica muitos destinos.


17 Outro caso: Dona Dalva

Fez aborto por rancor,

Um dos irmãos revoltado,

É seu grande obsessor.


18 Foi triste o que sucedeu

Com Dona Zuma da Penha,

Abortou um filho e o guardou

Num grande feixe de lenha.


19 Perdoem-me os companheiros,

Que escutam os versos meus,

Cada criança que nasce…

É bênção do amor de Deus.


20 Que as mulheres continuem

A ser irmãs de luz,

Que todos as amemos,

Por mensageiras de Jesus.


21 Quanto ao mais, abraço a todos

Tenho aqui meu arco íris…

Amemo-nos uns aos outros,

— Vosso irmão Cornélio Pires.


Cornélio Pires



Mensagem recebida no Grupo Espírita da Prece em 10/01/1998


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir