Bíblia do Caminho Testamento Kardequiano

Revista espírita — Ano VI — Março de 1863.

(Édition Française)

POESIAS ESPÍRITAS.


Por que se lamentar?

(Grupo Espírita de Pau.  †  – Médium: Sr. T…)

Deus fez o homem ativo e livre e inteligente,

De seu próprio destino, artífice também.

Dois caminhos lhe abriu à escolha competente:

Um que ao mal o conduz; outro que o conduz ao bem.

E deles o primeiro é doce na aparência;

Porquanto esforço algum requer de quem o segue:

Sem cuidados quaisquer, só viver na indolência,

Em instintos brutais livremente prossegue,

É tudo o que é preciso. – O segundo caminho

Certo esforço requer, bom trabalho em ação,

Com vigilância atenta e sindicante alinho,

Sempre ágil a razão e o instinto em contenção.

O homem, livre de optar, pode dar-se ao primeiro,

Na ignorância estagnar e na imoralidade;

Preferindo ao dever um sentir mais grosseiro,

À suprema razão, o instinto e a maldade.

Ou bem pode ele, então, dando dócil ouvido

A uma voz que lhe diz: “Nasceste pra crescer,

E sempre progredir, não treva retido.”

No segundo caminho um nobre anseio ter.

Da sua decisão o seu destino depende

Sombrio se vier de uma errônea visão,

Ou qual da noiva alegre um olhar sorridente

Àquele homem feliz que herdou seu coração.

Se fizestes o mal, podereis neste mundo

Riquezas adquirir, títulos, honrarias;

Mas do Espírito a calma, e esse prazer profundo

Que nasce do ideal, promotor de alegrias

Fugirão para sempre; e o remorso ingente

A voz vos seguirá mesmo em vossos festins,

Cruel a misturar com nota assaz dolente

Vossos cantos de glória e estribilhos afins.

Mas quando vos chegar cruel a hora fatal,

Livre o Espírito, enfim, de seu corpo tão caro,

Novamente entrará em seu curso moral,

Onde a verdade é luz e o mal requer reparo,

Onde o sofisma impuro, a lassa hipocrisia

Acesso já não têm, pois tudo é luminoso,

Fantasma acusador, vossa vida de orgia

Surgirá ante vós, em toda a parte, ansioso.

Vossos crimes serão, rico, os vossos carrascos.

Desnudo ver-vos-ei; poderoso, sozinho;

Pasmado fugireis qual corça, entre penhascos,

Do caçador que a perde irado e em desalinho.

Talvez que ébrio de orgulho e tanto sofrimento,

Soltareis contra Deus grito blasfemador,

Mas vossa consciência atenta, no momento,

Elevará então seu brado vingador:

“Homem, de blasfemar cesse a tua demência.

“Deus já te criou livre, ativo, inteligente,

“Para ti expressou seu querer e potência,

“Artífice te fez de ti mesmo, e consciente.

“Tens na vontade tudo, enfim, pra transformar

“Teu mal em alegria. Além dos escarcéus,

Olha alguém que o dever cumpriu e a caminhar,

“Lutou muito e venceu, na conquista dos céus.

“Como preço do esforço a mesma recompensa

“Te espera. – Por que, pois, tanta lastimação?

“Ergue-te. E a Deus, que é bom, roga assistência intensa;

“Ora, trabalha e luta, e o céu terás, então.”

Um Espírito Protetor.


Observação. – Não levamos em conta algumas irregularidades de versificação, tendo em vista as ideias expendidas.


.

Abrir