Bíblia do Caminho Testamento Kardequiano

O Livro dos Espíritos. ©

(Édition Française)

CONTENDO os princípios da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da Humanidade — Segundo os ensinos dados por Espíritos superiores com o concurso de diversos médiuns. — RECEBIDOS E COORDENADOS POR ALLAN KARDEC. — PARIS, 18 DE ABRIL DE 1857.


Índice.

(Capítulos)

AVISO. — Sobre esta Nova Edição.

Introdução. | (Parte I, II, III, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XI, XII, XIII, XIV, XV, XVI, XVII.)

Prolegômenos.


LIVRO PRIMEIRO. — AS CAUSAS PRIMÁRIAS.


I. — Deus. (1 - 16.) Deus e o infinito. (1-3.) | Provas da existência de Deus. (4-9.) | Atributos da Divindade. (10-13.) | Panteísmo. (14-16.)


II. — Elementos gerais do universo. (17 - 36.) Conhecimento do princípio das coisas. (17-20.) | Espírito e matéria. (21-28.) | Propriedades da matéria. (29-34.) | Espaço universal. (35, 36.)


III. — Criação. (37 - 59.) Formação dos mundos. (37-42.) | Formação dos seres vivos. (43-49.) | Povoamento da Terra. Adão. (50, 51.) | Diversidade das raças humanas. (52-54.) | Pluralidade dos mundos. (55-58.) | Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à Criação. (59.)


IV. — Princípio vital. (60 - 75.) Seres orgânicos e inorgânicos. (60-67.) | A vida e a morte. (68-70.) | Inteligência e instinto. (71-75.)


LIVRO SEGUNDO. — MUNDO ESPÍRITA OU DOS ESPÍRITOS.


I. — Dos Espíritos. (76 - 131.) Origem e natureza dos Espíritos. (76-83.) | Mundo normal primitivo. (84-87.) | Forma e ubiquidade dos Espíritos. (88-92.) | Perispírito. (93-95.) | Diferentes ordens de Espíritos. (96-99.) | Escala espírita. (100-113.) | Progressão dos Espíritos. (114-127.) | Anjos e demônios. (128-131.)


II. — Encarnação dos Espíritos. (132 - 148.) Objetivo da encarnação. (132, 133.) | Da alma. (134-146.) | Materialismo. (147, 148.)


III. — Retorno da vida corporal à vida espiritual. (149 - 165.) A alma após a morte; sua individualidade. Vida Eterna. (149-153.) | Separação da alma e do corpo. (154-162.) | Perturbação espiritual. (163-165.)


IV. — Pluralidade das existências. (166 - 221.) Da reencarnação. (166-170.) | Justiça da reencarnação. (171.) | Encarnação nos diferentes mundos. (172-188.) | Transmigração progressiva. (189-196.) | Sorte das crianças depois da morte. (197-199.) | Sexos nos Espíritos. (200-202.) | Parentesco, filiação. (203-206.) | Parecenças físicas e morais. (207-217.) | Ideias inatas. (218-221.)


V. — Considerações sobre a pluralidade das existências. (222.)


VI. — Vida espírita. (223 - 329.) Espíritos errantes. (223-233.) | Mundos transitórios. (234-236.) | Percepções, sensações e sofrimentos dos Espíritos. (237-256.) | Ensaio teórico da sensação nos Espíritos. (257.) | Escolha das provas. (258-273.) | Relações de além-túmulo. (274-290.) | Relações de simpatia e de antipatia entre os Espíritos. Metades eternas. (291-303.) | Recordação da existência corpórea. (304-318.) | Comemoração dos mortos. Funerai. (320-329.)


VII. — Retorno à vida corporal. (330 - 399.) Prelúdio da volta. (330-343.) | União da alma e do corpo. Aborto. (344-360.) | Faculdades morais e intelectuais. (361-366.) | Influência do organismo. (367-370.) | Idiotismo, loucura. (371-378.) | Da infância. (379-385.) | Simpatias e antipatias terrestres. (386-391.) | Esquecimento do passado. (392-399.)


VIII. — Emancipação da alma. (400 - 455.) O sono e os sonhos. (400-412.) | Visitas espíritas entre pessoas vivas. (413-418.) | Transmissão oculta do pensamento. (419-421.) | Letargia, catalepsia, mortes aparentes. (422-424.) | Sonambulismo. (425-438.) | Êxtase. (439-446.) | Dupla vista. (447-454.) | Resumo teórico do sonambulismo, do êxtase e da dupla vista. (455.)


IX. — Intervenção dos Espíritos no mundo corporal. (456 - 557.) Penetração de nossos pensamentos pelos Espíritos. (456-458.) | Influência oculta dos Espíritos em nossos pensamentos e atos. (459-472.) | Possessos. (473-480.) | Convulsionários. (481-483.) | Afeição dos Espíritos por certas pessoas. (484-488.) | Anjos guardiães. Espíritos protetores, familiares ou simpáticos. (489-521.) | Pressentimentos. (522-524.) | Influência dos Espíritos nos acontecimentos da vida. (525-535.) | Ação dos Espíritos sobre os fenômenos da Natureza. (536-540.) | Os Espíritos durante os combates. (541-548.) | Dos pactos. (549, 550.) | Poder oculto. Talismãs. Feiticeiros. (551-556.) | Bênçãos e maldições. (557.)


X. — Ocupações e missões dos Espíritos. (558 - 584.)


XI. — Os três reinos. (585 - 613.) Os minerais e as plantas. (585-591.) | Os animais e o homem. (592-610.) | Metempsicose. (611-613.)


LIVRO TERCEIRO. — LEIS MORAIS.


I. — Lei divina ou natural. (614 - 648.) Caracteres da lei natural. (614-618.) | Origem e conhecimento da lei natural. (619-628.) | O bem e o mal. (629-646.) | Divisão da lei natural. (647, 648.)


II. — I. Lei de adoração. (649 - 673.) Objetivo da adoração. (649-652.) | Adoração exterior. (653-656.) | Vida contemplativa. (657.) | Da prece. (658-667.) | Politeísmo. (667, 668.) | Sacrifícios. (669-673.)


III. — II. Lei do trabalho. (674 - 685.) Necessidade do trabalho. (674-681.) | Limite do trabalho. Repouso. (682-685.)


IV. — III. Lei de reprodução. (686 - 701.) População do Globo. (686, 687.) | Sucessão e aperfeiçoamento das raças. (688-692.) | Obstáculos à reprodução. (693, 694.) | Casamento e celibato. (695-699.) | Poligamia. (700, 701.)


V. — IV. Lei de conservação. (702 - 727.) Instinto de conservação. (702, 703.) | Meios de conservação. (704-710.) | Gozo dos bens terrenos. (711-714.) | Necessário e supérfluo. (715-717.) | Privações voluntárias. Mortificações. (718-727.)


VI. — V. Lei de destruição. (728 - 765.) Destruição necessária e destruição abusiva. (728-736.) | Flagelos destruidores. (737-741.) | Guerras. (742-745.) | Homicídio. (746-751.) | Crueldade. (752-756.) | Duelo. (757-759.) | Pena de morte. (760-765.)


VII. — VI. Lei de sociedade. (766 - 775.) Necessidade da vida social. (766-768.) | Vida de insulamento. Voto de silêncio. (769-772.) | Laços de família. (773-775.)


VIII. — VII. Lei do progresso. (776 - 802.) Estado de natureza. (776-778.) | Marcha do progresso. (779-785.) | Povos degenerados. (786-789.) | Civilização. (790-793.) | Progresso da legislação humana. (794-797.) | Influência do Espiritismo no progresso. (798-802.)


IX. — VIII. Lei de igualdade. (803 - 824.) Igualdade natural. (803.) | Desigualdade das aptidões. (804, 805.) | Desigualdades sociais. (806, 807.) | Desigualdade das riquezas. (808-813.) | As provas de riqueza e de miséria. (814-816.) | Igualdade dos direitos do homem e da mulher. (817-822.) | Igualdade perante o túmulo. (823, 824.)


X. — IX. Lei de liberdade. (825 - 872.) Liberdade natural. (825-828.) | Escravidão. (829-832.) | Liberdade de pensar. (833, 834.) | Liberdade de consciência. (835-842.) | Livre arbítrio. (843-850.) | Fatalidade. (851-867.) | Conhecimento do futuro. (868-871.) | Resumo teórico do móvel das ações do homem. (872.)


XI. — X. Lei de justiça, de amor e de caridade. (873 - 892.) Justiça e direitos naturais. (873-879.) | Direito de propriedade. Roubo. (880-885.) | Caridade e amor do próximo. (886-889.) | Amor materno e filial. (890-892.)


XII. — Perfeição moral. (893 - 919.) As virtudes e os vícios. (893-906.) | Das paixões. (907-912.) | Do egoísmo. (913-917.) | Caracteres do homem de bem. (918.) | Conhecimento de si mesmo. (919.)


LIVRO QUARTO. — ESPERANÇAS E CONSOLAÇÕES.


I. — Penas e gozos terrestres. (920 - 957.) Felicidade e infelicidade relativas. (920-933.) | Perda de entes queridos. (934-936.) | Decepções. Ingratidão. Afeições destruídas. (937, 938.) | Uniões antipáticas. (939, 940.) | Temor da morte. (941, 942.) | Desgosto da vida. Suicídio. (943-957.)


II. — Penas e gozos futuros. (958 - 1019.) Nada. Vida futura. (958, 959.) | Intuição das penas e gozos futuros. (960-962.) | Intervenção de Deus nas penas e recompensas. (963, 964.) | Natureza das penas e gozos futuros. (965-982.) | Penas temporais. (983-989.) | Expiação e arrependimento. (990-1002.) | Duração das penas futuras. (1003-1009.) | Ressurreição da carne. (1010, 1011.) | Paraíso, inferno e purgatório. (1012-1019.)


Conclusão. | (Partes I, II, III, IV, V, VI, VII, VIII, IX.)


As lições dessa bíblia que fizeram citações ao Livro dos Espíritos, poderão ser consultadas na seção Estudos Espíritas.


.

Abrir