Bíblia do Caminho Testamento Redentor

Epístola de S. Paulo aos Hebreus  † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 9

(Versículos e sumário)

9 O primeiro na verdade teve também regulamentos sagrados do culto; e um santuário temporal.

2 Porque no tabernáculo que foi construído, havia uma primeira parte, em que estava o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição, o que se chama o santuário.

3 E depois do segundo véu, o tabernáculo, que se chama o santo dos santos;

4 Onde estava um turíbulo de ouro, e a arca do testamento, coberta de ouro em roda por todas as partes, na qual havia uma urna de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas do testamento.

5 E sobre ela estavam os querubins de glória, que cobriam o Propiciatório; mas não é aqui o lugar de falarmos de tudo isto individualmente.

6 E dispostas assim estas coisas, não há dúvida que entravam sempre no primeiro tabernáculo os sacerdotes, para cumprirem as funções dos seus ministérios;

7 Mas no segundo só entrava o pontífice uma vez no ano, não sem sangue que oferecesse por suas próprias ignorâncias e pelas do povo;

8 Significando com isto o Espírito Santo que o caminho do santuário não estava ainda descoberto; enquanto subsistia o primeiro tabernáculo;

9 O qual é figura do que se passava naquele tempo, no qual se ofereciam dons e sacrifícios, que não podiam purificar a consciência do que sacrificava por meio somente de manjares e de bebidas,

10 E de diversas abluções e justiças da carne postas até ao tempo da correção.

11 Mas estando Cristo já presente, pontífice dos bens vindouros, por outro mais excelente e perfeito tabernáculo, não foi feito por mão de homem, isto é, não desta criação;

12 Nem por sangue de bodes ou de bezerros, mas pelo seu próprio sangue entrou uma só vez no santuário, havendo achado uma redenção eterna.

13 Porque se o sangue dos bodes e dos touros, e a cinza espalhada de uma novilha santifica aos imundos para purificação da carne;

14 Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito Santo se ofereceu a si mesmo sem mácula a Deus, alimpará a nossa consciência das obras da morte para servir ao Deus vivo?

15 E por isso é mediador de um novo testamento, para que intervindo a morte, para expiação daquelas prevaricações que havia debaixo do primeiro testamento, recebam a promessa de herança eterna os que têm sido chamados.

16 Porque onde há um testamento é necessário que intervenha a morte do testador.

17 Porque o testamento não tem força senão pela morte; doutra maneira não vale enquanto vive o que fez o testamento.

18 Por onde nem ainda o primeiro foi celebrado sem sangue.

19 Porque Moisés, havendo lido a todo o povo todo o mandamento da lei, tomando o sangue dos bezerros e dos bodes com água e com lã tinta de escarlate e com hissopo, borrifou também o mesmo livro e a todo o povo,

20 Dizendo: Este é o sangue do testamento, que Deus vos tem mandado. ( † )

21 E rociou assim mesmo com sangue o tabernáculo e todos os vasos do ministério.

22 E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem efusão de sangue não há remissão.

23 Era logo necessário que as figuras por certo das coisas celestiais fossem purificadas com tais coisas; mas que as mesmas coisas celestiais o fossem com umas vítimas melhores do que estas.

24 Porque não entrou Jesus num santuário feito por mão de homem, que era figura do verdadeiro; senão no mesmo Céu, para se apresentar agora diante de Deus por nós outros.

25 E não entrou para se oferecer muitas vezes a si mesmo, como o pontífice cada ano entra no santuário com sangue alheio.

26 De outra maneira lhe seria necessário padecer muitas vezes desde o princípio do mundo; mas agora apareceu uma só vez, na consumação dos séculos, para destruição do pecado, oferecendo-se a si mesmo por vítima.

27 E assim como está decretado aos homens que morram uma só vez, e que depois disto se siga o juízo;

28 Assim também Cristo foi uma só vez imolado para esgotar os pecados de muitos; e a segunda aparecerá sem pecado aos que o esperam para salvação.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: Novum Testamentum Graece (NA28 - Nestle/Aland, 28th revised edition, edited by Barbara Aland and others) Parallel Greek New Testament by John Hurt.


.

Abrir